ANÁLISE | Premonição, uma das franquias mais consistentes do terror

Em março de 2000, o primeiro Premonição chegava aos cinemas, trazendo uma premissa diferente, e engatando na febre de filmes teen slasher dos anos 90. O filme, assim como todos os outros, começa com uma situação que termina mal, e teria todos os envolvidos mortos, se não fosse por uma pessoa ter uma premonição sobre o que aconteceria.

Contrariando os planos da Morte (que no filme é, de fato, uma entidade que dá aquele empurrão para certos "acidentes" bizarros acontecerem), os sobreviventes começam a morrer, um por um, na ordem que teriam morrido se a premonição não tivesse os salvado. No clímax do filme, os sobreviventes restantes entendem isso, e começam a tentar enganar a Morte mais uma vez.

Por mais que os finais mudem, variando entre ter sobreviventes ou não, todos os filmes da franquia tem essa receita pronta, destinada ao sucesso, contanto que o roteiro cative o publico - o que aconteceu quase que perfeitamente em todos os filmes.


O primeiro filme já se tornou um clássico, e muito provavelmente já está na lista dos filmes de terror imortais. Adolescentes meio tristes, tentando escapar da morte em eventos muito suspeitos, com uma direção impecável e um roteiro divertidamente macabro foram a chave para um filme se tornar, eventualmente, cinco filmes.

O segundo conseguiu seguir a linha do primeiro, principalmente por trazer de volta a grande sobrevivente do filme e seguir os passos do legado que o primeiro filme deixou. Mais do que isso, todos os sobreviventes tinham histórias interessantes e as mortes ficaram um pouco mais loucas - coisa que todo fã do primeiro filme gostou.

Com o terceiro filme, 6 anos após o lançamento do primeiro, a franquia chegou em um outro patamar, atingindo uma nova geração, e se tornando o que muitos consideram o melhor filme da franquia. Enquanto os acidentes iniciais dos outros filmes envolviam coisas mais "normais" como um avião e um engavetamento de carros, o terceiro chegou com o pé na porta em um acidente de montanha-russa. E isso deu o tom para o resto do filme. Todas, e eu repito, TODAS as mortes desse filme são geniais - tenho certeza que ninguém nunca vai esquecer do churrasco no bronzeamento artificial.


A partir do quarto filme, a franquia perdeu ritmo, mas continuou consistente. Realmente, fica difícil tentar criar situações mais inusitadas do que tudo que eles já haviam mostrado até então, e os roteiros do quarto e quinto filme pecam em não chegar ao nível dos três filmes antecessores, mas os ultimos filmes ainda são bons! As mortes, o roteiro e os personagens ainda são bons!

Premonição é uma franquia que eu considero subestimada, por mais que seja uma das mais, se não a mais consistente! Os filmes Premonição não tem tanto respeito como Sexta-Feira 13, A Hora do PesadeloHalloween e Pânico, mas nenhum filme da franquia Premonição é considerado RUIM. E além disso, eles souberam a hora de parar, perceberam que não tem mais pra onde evoluir a história e saíram por cima.

Não estou aqui para dizer que Premonição é a melhor franquia já criada, mas ela está em um patamar mais elevado do que muitas pessoas admitem. Todos os filmes vão do excelente ao razoavelmente bom, e não deixam de trazer muita diversão, entretenimento e - é claro - muito sangue.

ANÁLISE | Premonição, uma das franquias mais consistentes do terror ANÁLISE | Premonição, uma das franquias mais consistentes do terror Reviewed by Anna Naylor on novembro 29, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →