10 Semanas de Terror | Semana 6 com Pergentina Mello

         Sexta semana do nosso especial de '10 Semanas de Terror'! Hoje temos a Pergentina e a participação do Rafinha do Vamos Falar de Cinema, para conferir a entrevista dele, clique aqui.
        "Meu nome é Pergentina e eu nasci no dia 02 de Novembro de 1989, dia de mortos. Se isso já não diz muito sobre mim, nem sei. Comecei desde muito novinha a amar filmes de terror, influenciada por um irmão que não tinha muitos amigos e deixava a irmã mais nova ver os piores absurdos ao lado dele, de serial killers a monstros sanguinários. O céu era o limite. Desde sempre apreciei todos os gêneros do terror. Thrillers psicológicos, fantasmas, bonecos assassinos, montros, psicopatas, canibais, zumbis, demônios, bruxas, lendas, slasher, gore, gótico, não existe um subgênero sequer que eu não ame, de verdade, é meu mundo particular preferido." 


TOP 10 PERGENTINA




01 - Braindead (1992) - Peter Jackson 

Em 1957, na Austrália, a mãe de um jovem é mordida por um macaco, contrai raiva e dá início a uma epidemia zumbi. (Wikipedia)

Pergentina: Horror/Comedy é um dos meus subgêneros favoritos do terror e, no quesito risadas, Braindead é uma obra prima do clássico trash. Quando um filme mistura zumbis, home invasion, serra elétrica e frases memoráveis como "Your mother ate my dog!" e "I kick ass for the lord!" é impossível não gostar. Vale mencionar o gore pesadíssimo e uma maquiagem incrível pra época. 

02 - Child's Play (1989) - Tom Holland

Uma mulher compra para seu filho um boneco amaldiçoado por um assassino em série morto dentro uma loja de brinquedos. Pouco antes, ele faz um ritual de vodu com o boneco, que ganha vida e se torna um perigoso psicopata. (Wikipedia)

Pergentina: Chucky é aquela mistura de terror e comédia que ou você ama ou você odeia. Uma mistura que às vezes perde o equilíbrio, é verdade, mas cresci vendo os filmes e aprendendo sobre o Chucky como personagem. E ao longo dos filmes eu me apaixonei por ele, pela Tiffany, pelo universo do brinquedo assassino e seus componentes. Não tem como eu falar de terror sem falar do Chucky e do quanto eu adoro a construção feita pelo Don Mancini. Acho que é uma história que teve sua origem incrível, a fase imatura de reconstrução e encontro de sua essência e agora vive um amadurecimento delicioso para quem é fã. Amo meu Chucky demais. 

03 - Hellraiser (1990) - Clive Barker

Frank, um pervertido sexual, compra um cubo mágico e abre a porta de uma dimensão cheia de dor e tortura. Quando uma antiga amante se muda para sua casa, ele tenta convencê-la a ajudá-lo a voltar ao mundo dos vivos. (Wikipedia)

Eu lembro de ter visto Hellraiser pela primeira vez de madrugada e escondida dos meus pais, quando era ainda bem novinha. Foi horrível. Mas foi marcante ao ponto de eu manter o filme na memória desde sempre. Lembro que só o revi já adulta, e a experiência foi de nostalgia e fascínio. Não gosto de todos os filmes da franquia, alguns eu preferia que não existissem, mas amo tanto a origem que acabo consumindo tudo desse universo. 

04 - Puppet Master (1989) David Schmoeller

Puppet Master é uma franquia americana de filmes de terror que se concentra em um grupo de fantoches antropomórficos animados por um feitiço egípcio, cada um equipado com seu próprio dispositivo único e perigoso e são representados como heróis, anti-heróis e antagonistas. (Wikipedia)

Pergentina: Eu simplesmente AMAVA rever esse filme quando criança. É fato que meus pais eram péssimos no quesito supervisão de televisão e eu via terror demais para alguém com menos de dez anos (e a existência do Cine Trash/Cine Sinistro na TV aberta à tarde nos anos noventa coleborou muito). Mas a verdade é que eu sentia um medo absurdo dos bonecos de Puppet Master e a frieza com a qual eles matavam suas vítimas. E explorar sentimentos como medo e a emoção de ver algo proibido sempre torna a experiência mais emocionante para uma criança. Revi pela última vez na adolescência, e está na minha lista para rever em breve já que tem um novo filme a caminho e quero eater com ele fresco na memória. 

05 - Martyrs (2016) - Kevin Goetz, Michael Goetz 

Duas mulheres são sequestradas e caem nas mãos de um grupo de fanáticos que acreditam no poder do martírio e do sacrifício. Esses algozes estão convencidos de que novos conhecimentos podem ser obtidos por meio da aplicação da tortura às vítimas, e, por isso, submetem-nas aos mais terríveis atos de violência. Quando as mulheres finalmente conseguem escapar, estão tomadas por um desejo incontrolável de vingança. (Wikipedia)

Pergentina: Esse filme marcou um momento extremamente complicado da minha vida. Eu estava em plena transição adolescência/idade adulta e ver um filme com duas protagonistas atormentadas e apaixonadas foi de um impacto gigante. Pelo poder do filme, a ideia, a execução e a brutalidade dele, Martyrs se tornou um eterno favorito, eu chorei e senti medo, raiva, desespero, tudo ao mesmo tempo, e para alguém lidando com seus próprios demônios, um filme que desperta tantas emoções não se deixa esquecer.




06 - El espinazo del Diablo (2001) - Guillermo del Toro

Durante a Guerra Civil Espanhola, garoto de 12 anos é abandonado em orfanato decadente. Recebido com hostilidade pelas crianças e por um cruel funcionário, ele começa a receber visitas do fantasma de menino assassinado na instituição. (Wikipedia)

Pergentina: Guillermo del Toro é fantástico. Não tem como descrever com outra palavra. Esse filme é marcante por diversos fatores. Eu amo fantasmas e filmes de fantasmas, o mistério que geralmente gira em torno deles me deixa fascinada. Mas o diferencial desse filme é a tristeza que também emana dele. Órfãos mal tratados, adultos cruéis, histórias de pobreza, guerra, abandono e fantasmas, tudo ao mesmo tempo. É um drama bem construído e ao longo dele você muda seu conceito sobre muitos personagens, você fica triste e sente medo por eles. É um dos meus favoritos do Del Toro. 

07 - Scream (1997) - Wes Craven

Um grupo de jovens enfrenta um assassino mascarado que testa seus conhecimentos sobre filmes de terror. A pequena cidade de Woodsboro nunca mais será a mesma. (Wikipedia)

Pergentina: Como não amar esse filme? Scream pra mim é um marco pros Slasher filmes porque ele brinca com as características dos mesmos. E o meu eu adolescente apaixonou-se pela construção do pânico desde a primeira cena. Sidney é uma protagonista maravilhosa do tipo que é impossível você não torcer por ela, e se amo tanto esse filme é porque foi a partir dele que ganhei interesse em outros Slashers, inclusive os mais antigos que só procurei assistir depois de ver Scream. 

08 - Gremlins (1984) - Joe Dante

Um inventor está à procura de um presente especial para seu filho, e encontra algo interessante em uma loja em Chinatown. O lojista fica relutante em lhe vender a pequena criatura, mas acaba aceitando, sob a condição de que ela nunca seja exposta à luz, água ou alimentada após a meia-noite. Naturalmente que todas essas regras são desobedecidas, o que resulta em um bando de monstrinhos descontrolados que decidem destruir a cidade bem na véspera do Natal. (Wikipedia)

Pergentina: Os filmes de monstros sem cgi dos anos 80/90 são as coisas mais preciosas do mundo e eu irei protegê-los. E Gremlins é cômico, é bizarro, é divertido. Você pode ver com uma criança ao lado e ela vai rir contigo e achar os Gremlins bonitinhos. É horror/comedy que nunca envelhece, e sou assumida fã dos bichinhos. 

09 - Alien (1979) - Ridley Scott

Uma nave espacial, ao retornar para Terra, recebe estranhos sinais vindos de um asteroide. Enquanto a equipe investiga o local, um dos tripulantes é atacado por um misterioso ser. O que parecia ser um ataque isolado se transforma em um terror constante, pois o tripulante atacado levou para dentro da nave o embrião de um alienígena, que não para de crescer e tem como meta matar toda a tripulação. (Wikipedia)

Pergentina: Sci-fi horror é sempre uma delícia. Alienígenas assassinos? Conceito fantástico. Junte isso ao fato de que Ellen Ripley se tornou uma heroína aos meus olhos e pronto, filme favorito. Eu poderia citar The Predator como outro favorito mas os motivos são quase os mesmos. O diferencial aqui é a Ellen. Sou apaixonada por ela desde que a vi pela primeira vez e sigo amando.

10 - Evil Dead (franquia) (1989) - Sam Raimi

Ashley e um grupo de amigos vão para uma casa na floresta para uma noite de diversão. Lá, encontram um velho livro que, quando lido em voz alta, desperta a morte. Os amigos acabam libertando uma corrente de demônios e agora terão que lutar por suas vidas ou acabarão como um deles. (Wikipedia)

Pergentina: Essa é o tipo de história que melhora com o tempo. A franquia cresceu bem, se entregou ao absurdo, fluiu entre horror e comédia, trouxe Ash como protagonista e teve a sorte de ser continuada no tempo certo com tendo a Mia como centro da história. Eu amo absolutamente tudo sobre Evil Dead. Demônios, gore, serra elétrica, chuva de sangue, cabana no meio do nada, garota correndo no meio da floresta à noite, ruídos estranhos, clima de suspense e horror, mortes assustadoras. Ash e Mia, cada um em seus filmes, são protagonistas maravilhosos. Um que puxa pro cômico, outro pro dramático. Tem tudo que há de bom em um terror clássico e eu seria doida demais se não amasse tudo sobre essa franquia (inclusive a série de TV que trouxe de volta o Bruce como Ash).

Gostou da lista da Pê e quer saber mais sobre ela? Siga-a no Twitter!
10 Semanas de Terror | Semana 6 com Pergentina Mello 10 Semanas de Terror | Semana 6 com Pergentina Mello Reviewed by Unknown on outubro 12, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →