10 Semanas de Terror | Semana 8 com Michelle Henriques

Fechando nossa lista de convidados, a entrevistada da semana é Michelle. E dessa vez é ainda mais especial, a Michelle fez questão de listar apenas obras feitas, dirigidas e/ou produzidas por mulheres! As entrevistas anteriores você confere aqui.

Quando a Larissa me convidou para listar 10 filmes de terror eu fiquei extremamente feliz, pois amo listas e terror é meu gênero preferido. Comecei a rascunhar a minha lista, anotei uns 30 e parei pra pensar “nenhum é dirigido por mulher”. Depois de dois anos participando do podcast 'Feito por Elas', eu me condicionei a sempre me atentar à direção.Por conta disso, decidi fazer essa listinha com filmes exclusivamente dirigidos por mulheres. Claro que muitos ficaram de fora, mas esses são alguns que eu gosto bastante. Não seguem nenhuma ordem de preferência, apenas estão aí.

TOP 10 MICHELLE



1. Raw (Julia Ducournau, 2016)

Grave é um filme de drama franco-belga de 2016 dirigido e escrito por Julia Ducournau. Estrelado por Garance Marillier, estreou primeiramente nGrave no Internet Movie Databaseo Festival de Cannes 2016 e, em seguida, na França em 15 de março de 2017. (Wikipédia)

Michelle: Fazia muito tempo que eu não via um filme de terror atual tão interessante. Canibalismo, relações humanas, uma garota se tornando mulher, tudo isso em meio a uma faculdade de medicina veterinária. Uma repulsa boa.

2. The Slumber Party Massacre (Amy Holden Jones, 1982)

The Slumber Party Massacre é um filme de terror do subgênero slasher estadunidense de 1982. O filme teve três sequências e outros filmes associados, a chamada Coleção Massacre — no total são 7 filmes até o presente momento. A obra tem muitas cenas de nudez e violência explícita. Foi feito no auge do subgênero slasher. (Wikipédia)

Michelle: Claro que nessa lista não podia faltar um slasher clássico! E o mais legal, ele foi escrito pela Rita Mae Brown, autora do livro 'Rubyfruit Jungle', que ficou bastante famoso na época por seu conteúdo de temática lésbica e aqui saiu com o incrível nome de Viva Sapata!. Filme divertidíssimo, com todos os clichês do gênero funcionando muito bem.

3. The Velvet Vampire (Stephanie Rothman, 1971)

The Velvet Vampire, também conhecido como Cemetery Girls, é um filme americano de vampiros de 1971, dirigido por Stephanie Rothman, estrelado por Celeste Yarnall, Michael Blodgett e Sherry Miles. Tornou-se um filme de culto. (Wikipedia)

Michelle: Os anos 70 foram marcados pelos filmes de vampiros, com mulheres ultra sensuais, e muito bom saber que em meio a tudo isso tinha uma mulher na direção: Stephanie Rothman. Ela fez muitos filmes de exploitation, e esse aqui é uma pequena grande pérola ruim.

4. Dans ma peau (Marina de Van, 2002)

Após um acidente que rasga violentamente sua pele, uma mulher adquire uma crescente obsessão com seu próprio corpo. (Wikipedia)

Michelle: Esse aqui é um filme para poucos, e não falo isso com pedantismo, mas sim porque a temática não é lá muito fácil. Uma mulher machuca a perna e torna-se obcecada com a própria pele, cortando e experimentando, até chegar a extremos. Escrito, dirigido e atuado pela Marina de Van.



5. Pet Semetary (Mary Lambert, 1989)

Uma série de acontecimentos estranhos se inicia após a morte do gato da família Creed. Aos poucos eles percebem que um antigo cemitério, que fica nos fundos da casa, pode ter ligação com esses eventos. (Wikipedia)

Michelle: Um grande clássico, adaptado de livro do Stephen King e com trilha dos Ramones que eu não sabia que tinha sido dirigido por mulher. Revi recentemente e ele continua incrível.

6. Lilith’s Awakening (Monica Demes, 2016)

Estrelado por Sophia WoodwardBarbara Eugenia e Steve Kennevan, o filme acompanha uma mulher reprimida que abraça seu lado sombrio, experimentando sua mais ousada fantasia. (Boca do Inferno)

Michelle: Topei com esse filme pela internet e fiquei curiosíssima pra ver, ainda mais em se tratando de uma diretora brasileira. Filme sensacional sobre o mito de Lilith e o papel da mulher na sociedade e nas relações. Conta com a participação da cantora Barbara Eugência. O podcast 'Feito por Elas' conversou com a diretora e você confere o resultado aqui.

7. As Boas Maneiras (Juliana Rojas e Marcos Dutra, 2017)

História de Clara, mulher negra que vive na periferia da capital paulista. Ao ser contratada como babá do filho da grávida Ana (Marjorie Estiano), moradora de um bairro nobre, ela rapidamente é forçada a assumir também a função de empregada. Conforme a gravidez avança, Ana tem comportamentos cada vez mais estranhos, e a dinâmica entre as duas mulheres evolui para um relacionamento amoroso. (Mulher no Cinema)

Michelle: Essa dupla já tinha trabalhado junta no ótimo “Trabalhar Cansa” e em outros curtos igualmente bons. Estava ansiosa para conferir esse novo filme que fala de um tema que eu não conhecia no cinema brasileiro: lobisomem! Mas é claro, ele vai muito além disso e traz questões delicadas muito bem discutidas.

8. Trouble Every Day (Claire Denis, 2001)

Trouble Every Day é um filme de terror erótico francês de 2001, dirigido por Claire Denis e escrito por Denis e Jean-Pol Fargeau. É estrelado por Vincent Gallo, Tricia Vessey, Béatrice Dalle e Alex Descas. A trilha sonora do filme é fornecida por Tindersticks. (Wikipedia)

Michelle: Mais um filme estranhíssimo sobre canibalismo, com os ótimos Vincent Gallo e Beatrice Dalle. Essa atriz está presente em diversos filmes franceses desconfortáveis, não consigo imaginar outra para esse papel.

9. The Hitch-Hiker (Ida Lupino, 1953)

The Hitch-Hiker é um filme noir de 1953, dirigido por Ida Lupino, sobre dois amigos da pesca que pegam um misterioso caronista durante uma viagem ao México. Inspirado pela onda de crimes do assassino psicopata Billy Cook, o roteiro foi escrito por Robert L. (Wikipedia)

Michelle: Esse não é um terror propriamente dito, é mais um suspense muito tenso e um dos primeiros dirigidos por mulheres. Ida Lupino era atriz, depois começou a dirigir seus próprios trabalhos e trabalhou bastante em séries de TV.

10. American Psyco (Mary Harron, 2000)

Em Nova York, em 1987, o belo jovem profissional Patrick Bateman tem uma segunda vida como um horrível assassino em série durante a noite. O elenco é formado pelo detetive, a noiva, a amante, o colega de trabalho e a secretária. Esta é uma comédia de humor seco que examina os elementos que transformam um homem em um monstro. (Wikipedia)

Michelle: Baseado em livro do Bret Easton Ellis, resolvi colocar esse na lista porque considero já um clássico. Lembro de toda a atenção que ele atraiu na época e até hoje ainda é bastante comentado. Mulheres também podem dirigir terror mais comercial.

Gostou da lista da Michelle? Siga-a no Twitter e e acompanhe seu projeto 'Leia Mulheres'!
10 Semanas de Terror | Semana 8 com Michelle Henriques 10 Semanas de Terror | Semana 8 com Michelle Henriques Reviewed by Unknown on outubro 26, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →