10 Semanas de Terror | Semana 2 com Yueh Fernandes

Para a segunda semana do "10 Semanas de Terror" temos Yueh Fernandes, que é amapaense, escritora de dark fantasy e horror/suspense, tem 25 anos e reside em Belo Horizonte, Minas Gerais, onde recentemente formou-se em Jornalismo. Seu romance de estreia, “Asas Escuras”, está disponível pela Amazon e pelo Clube de Autores em versão digital.  E também Kimberly Alice, que você pode conferir aqui.


Eu sou Yueh Fernandes, sou uma assombração escritora, e esse é o meu top 10 de filmes e contos de terror! 




1.       O Horror no Museu (1932) - H.P. Lovecraft

"The Horror in the Museum" é um conto escrito por H. P. Lovecraft para Somerville, a escritora de MA Hazel Heald em outubro de 1932, publicado em 1933. É uma das cinco histórias que Lovecraft revisou para Heald. A história foi reimpressa em várias coleções, como The Horror in the Museum e Other Revisions. (Wikipédia)

Yueh Fernandes: Acho que li isso quando tinha 16 anos, de qualquer forma, ainda estava no colégio. O escolhi como primeiro lugar por ter me causado uma impressão muito forte na época, nunca o reli depois daquela noite, mesmo agora quando adulta, porque tenho receio de perder a imagem mental que ficou gravada na minha cabeça e me assombrou por muitos anos após a leitura... e ainda assombra. 

2.      Um Lobisomem Americano em Londres (1983) John Landis

David Kessler e Jack Goodman viajam dos Estados Unidos para conhecer a Inglaterra. Chegando em uma pequena cidade, eles vão ao bar e são friamente recepcionados. A situação piora quando Jack pergunta o porquê do local ter velas e um pentágono na parede. Ao saírem, eles caminham por uma estrada deserta e percebem que um animal está os cercando. Jack é atacado e tem seu corpo dilacerado, enquanto David fica apenas com cortes no rosto e nos ombros, o suficiente para transformá-lo em um lobisomem. (Wikipedia)

Yueh Fernandes: Eu sempre morri de medo de lobisomem, mas me torturo a vida toda caçando filmes protagonizados pela criatura por pura curiosidade, é uma das poucas coisas que ainda me causam calafrios, mesmo hoje. A maquiagem desse filme é perfeita, me deixa enojada e fascinada ao mesmo tempo, a sequência da transformação do homem em lobo é um eterno clássico, não há necessidade de reiterar. Algo semelhante jamais será feito novamente, com tanto CGI imperando nas telas. 

3.      O Nevoeiro (2008) - Stephen King

Depois que uma tempestade causa danos em sua casa no Maine, David Drayton e seu jovem filho vão à cidade para conseguir alimentos e suprimentos. Logo depois, uma espessa neblina atinge a cidade, deixando várias pessoas presas na mercearia. Criaturas mortais aterrorizam a cidade, mas dentro do mercado um fanático exige que alguém se sacrifique. (Wikipedia)

Yueh: Minha paixão por criaturas horríveis e cidades pequenas me levou a ler esse conto quando eu tinha só 17 anos, assim como “O Horror no Museu”, ele me causou uma impressão muito forte, uma vez que eu também cresci em cidade pequena, rodeada de florestas, a ideia de ficar presa em um supermercado por conta de um nevoeiro inexplicável não era tão impossível, levando em consideração o quão remotas as paisagens da minha infância e adolescência sempre foram. 

4.      A Mosca (1987) - David Cronenberg

O excêntrico cientista Seth Brundle completa seu dispositivo de teletransporte e decide testar a eficácia do experimento em si próprio. Sem que ele perceba, uma mosca cai no aparelho durante o processo e provoca uma fusão dele com o inseto. Contudo, ele pensa que o experimento foi um sucesso, até que começa a notar que as células da mosca estão tomando conta de seu corpo, e ele acaba se transformando em uma criatura monstruosa. (Wikipedia)

Yueh: Meus pais eram meio malucos, eles me deixavam ver coisas desse tipo quando eu era só uma criança, deve ser por isso que sou meio esquisita hoje em dia. Sou apaixonada pelo nojento, pelo grotesco, o tipo de menina que cutucava rato morto com vareta quando era menor, e acho que esse filme tem parte da culpa. Mais uma vez, efeitos especiais e trabalho de maquiagem extraordinários, com muita gosma, muito pus, muita carne caindo dos ossos, tudo feito à mão, coisas que perdemos depois do advento do CGI. 

5.      O Buquê (2007) - Lauren Myracle (Extraído do livro ‘Formaturas Infernais’)

Formaturas Infernais Prom Nights from Hell e Danças Malditas em português europeu, é um livro de contos escrito por Meg Cabot, Stephenie Meyer, Kim Harrison, Michele Jaffe e Lauren Myracle.(Wikipédia)

Yueh: Esse é um conto que faz parte da coletânea “Formaturas Infernais”, que reúne nomes pouco atrativos como Stephenie Meyer e Meg Cabot, conhecidas autoras de Young Adult best-sellers pouco apreciados por leitores com mais 17 anos. Acontece que esse conto é, de fato, um achado, uma pérola em meio a clichês pouco atrativos. Aqui, como em “O Horror no Museu”, somos assombrados por aquilo que não podemos ver, o vislumbre do medonho nos é negado pela autora, restando-nos imaginar o horror que jaz de pé atrás da porta, batendo e batendo sem parar, a exigir numa voz fantasmagórica, o derradeiro convite para entrar. 

6.       Cemitério Maldito 2 (1992) - Mary Lambert

Quando sua mãe, Renee, morre, o jovem Jeff Matthews retorna para sua cidade natal com o pai, Chase. Jeff faz amizade na escola com Drew Gilbert, que lhe conta sobre um cemitério de índios que ressuscita pessoas e animais, o que provocou a morte da família Creed, que morava na cidade. Desesperado de saudade de sua mãe, Jeff ignora os alertas e enterra seu corpo, fazendo-a retornar na forma de uma zumbi mortal.  (Wikipedia)

Yueh Fernandes: Stephen King é conhecido por ignorar pudor e ética ao retratar a infância, é comum a suas obras a retratação de meninos e meninas que fumam, falam palavrões, torturam uns aos outros e tem noções de sexo já bem avançadas para a idade. Aqui, nesta adaptação, a diretora mantém esta característica e acrescenta altas doses de sangue, pus, ossos quebrados e carne viva a isso. Foi o primeiro filme em que vi uma criança morrer, o primeiro filme em que vi uma criança mandar alguém se foder, eu devia ter uns 11 anos na época e fiquei deveras impressionada, horrorizada pra falar a verdade. Amei. 



7.       A Espinha do Diabo (2001) - Guillermo Del Toro

Durante a Guerra Civil Espanhola, garoto de 12 anos é abandonado em orfanato decadente. Recebido com hostilidade pelas crianças e por um cruel funcionário, ele começa a receber visitas do fantasma de menino assassinado na instituição. (Wikipedia) 

Yueh Fernandes: Este filme está na lista para representar não só meu diretor de cinema favorito no mundo todo como também um dos meus gêneros favoritos no mundo todo, cuja principal característica se resume a um lugar muito, muito velho sendo assombrado pelo fantasma de uma criança (ou uma mulher) que morreu de forma muito injusta e cruel, o que a fez clamar por justiça e arrastar os pés após a morte, noite após noite, corredores adentro, até que algum mocinho ou mocinha ingênuo e desavisado resolva levantar no meio da madrugada para encontrar a porcaria do cadáver escondido em uma parede secreta ou numa cisterna abandonada. 


8.      Venha, Dona Morte (2016) - Peter S. Beagle (Extraído do livro “Criaturas Estranhas”)

Dezesseis histórias fantásticas, algumas escritas há mais de cem anos, outras inéditas, selecionadas por ninguém menos que o aclamado autor de Coraline e outros tantos sucessos, Neil Gaiman. Como o título sugere, “Criaturas Estranhas” é uma coletânea de contos povoada por seres fantásticos, magníficos e às vezes assustadores. Assinadas por autores clássicos de ficção científica e fantasia, como Anthony Boucher e Diana Wynne Jones, a escritores contemporâneos, como Nnedi Okorafor e o próprio Gaiman, as histórias, que parecem ter saído de um sonho, ou talvez de um pesadelo, têm em comum o olhar atento e único de Neil Gaiman para o insólito. Cada conto é precedido de um comentário do escritor, que visa a provocar ainda mais a imaginação do leitor. (Saraiva)

Yueh: Este conto faz parte de uma coletânea chamada “Criaturas Estranhas”, curada pelo Neil Gaiman, e tem bem pouco de “terror” propriamente dito. O conto está nesta lista pelo simples fato de que me identifico absurdamente com a personagem da Morte, reinterpretada pelo auto, nesta narrativa: uma bela jovem que tem todos os atributos necessários para encantar todos a sua volta, mas, por ser o que é, só consegue causar pavor e receio no coração dos homens, afastando-os ao menor sinal de interesse por parte dela. 

9.       Braindead (1992) - Peter Jackson

Em 1957, na Austrália, a mãe de um jovem é mordida por um macaco, contrai raiva e dá início a uma epidemia zumbi. (Wikipedia)

Yueh: O filme, que mais beira a comédia do que o terror, é uma produção totalmente trash que está nesta lista pelo mesmo motivo que “A Mosca”: a nojeira, o sangue, o pus. Adoro ver braços sendo arrancados e olhos saltando para fora das órbitas, não tenho controle algum sobre isso. A história é toda tão absurda que tudo começa quando um rato mutante morde a mãe do protagonista em uma visita ao zoológico. Pouco tempo depois, a cidade toda foi zumbificada. O high point do filme é o bebê-zumbi que nasce de uma grávida transformada, e que o protagonista se vê forçado a cuidar. Detalhe: o moleque é o capeta em forma de guri. 


10.   I Am The Pretty Thing That Lives In The House (2016) - Osgood Perkins

“Eu sou a coisa bonita que vive em casa” é um filme de terror americano-canadense 2016 escrito e dirigido por Osgood Perkins. É estrelado por Ruth Wilson como uma enfermeira que suspeita que a casa de seu idoso empregador pode ser assombrada. (Wikipedia)

Yueh Fernandes: Esta produção da Netflix definitivamente não foi feita para agradar, não é um filme de terror convencional, feito para os que procuram jumpscares ou o excesso de efeitos especiais que tem saturado o cinema nos últimos anos. Não, este filme é uma obra mais contemplativa, mais poética, e procura mostrar a história do ponto de vista do fantasma. Me cativou de primeira, uma vez que, desde pequena, visitando o cemitério em Dia de Finados na companhia da minha mãe, me perguntava, fascinada, ansiosa, como seria morrer e então passar a vagar errante, assombrando ruas, casas... pessoas.  

Gostou da lista e quer saber mais sobre a Yueh? Conheça sua obra "Asas Escuras" no Clube dos Autores!
10 Semanas de Terror | Semana 2 com Yueh Fernandes 10 Semanas de Terror | Semana 2 com Yueh Fernandes Reviewed by Unknown on setembro 14, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →