REVIEW: Amityville: O Despertar (2017)

O filme conta a história de Belle (Bella Thorne) e sua família, que se mudam para a infame casa dos DeFeo porque o irmão gêmeo de Belle, James (Cameron Monaghan), está em uma espécie de coma e a mãe Joan (Jennifer Jason Leigh) decide ficar mais perto da família dela. E não demora muito para que eventos estranhos comecem a acontecer, como sombras misteriosas em janelas. No começo do filme há muito drama familiar, já que Joan não aceita que James não vai voltar e insiste em deixa-lo conectado à aparelhos, o que revolta Belle.

O filme original de 1979 é citado várias vezes no filme, como quando um colega de Belle, Terrence (Thomas Mann), a mostra o dvd do filme, já que ela não sabia do passado da casa. Sabendo agora da história bizarra de onde Belle mora, ela começa a ter sonhos estranhos e a ver coisas que não deveriam estar ali. Ela tenta fingir que nada está acontecendo, mas não dura muito tempo.


James volta parcial e milagrosamente de sua condição, e alguns momentos bem gráficos começam a acontecer também. O doutor de James vê uma criação de moscas em baixo de seu corpo, e elas começam a ataca-lo, até que entram todas em sua boca, fazendo com que o doutor se desespere. Logo depois ele percebe que foi apenas uma visão e, apavorado, diz que não pode mais tratar de James, que não há mais nada que ele possa fazer.

A partir de então começam cenas assustadoras atrás de cenas assustadoras, a maioria envolvendo James, e os sonhos de Belle ficam cada vez mais bizarros e mais vívidos. No meio de toda essa loucura, um momento aparentemente feliz acontece: James consegue se comunicar com a família através de uma tecnologia e diz que perdoa Belle. Nesse momento nós finalmente temos a revelação do porque ele está naquela condição: há dois anos atrás, Belle mandou fotos nuas para um cara, que as espalhou por toda a cidade em que eles moravam, e James quis tirar satisfação. Mas no meio da briga e da confusão, James caiu da sacada do terceiro andar da casa em que estavam.

Porém, Terrence alerta Belle de que é muito estranho que James tenha conseguido voltar milagrosamente do coma em que esteve por dois anos, e que a cama de James está localizada em cima do "quarto vermelho" da história original dos DeFeo. Belle resolve perguntar a James se tem mais alguém ali dentro dele, e ele diz que sim. Quando ela pergunta então o que ela pode fazer para ajuda-lo, ele pede para ela o matar. Só que o plano não dá certo e, num ultimo momento de lucidez de James, ele a avisa para sair daquela casa imediatamente.

Agora sabendo que seu irmão está assombrado, Belle começa a tentar mostrar para sua família que aquele não é apenas o seu irmão e que ele precisa de ajuda. É revelado então que Joan resolveu se mudar para a antiga casa dos DeFeo de propósito, pois se alguma força do além fosse capaz de trazer seu filho de volta, era isso que ela queria.

James está então totalmente tomado pelas forças malignas que habitam a casa e começa a sua tão esperada matança. A primeira vítima é sua tia Candice, depois sua mãe, e em seguida ele tenta matar Juliet, a irmã mais nova da família, mas Belle o impede, se tacando junto com ele do segundo andar da casa. James volta ao seu estado normal e morre com a queda, mas não sem antes agradecer a sua irmã.


Minhas considerações sobre o filme são que ele é bem fraco, mesmo tendo alguns bons sustos. Se você conseguir separar qualquer memória do primeiro filme e não fazer nenhum tipo de comparação, Amityville: O Despertar pode até ser uma boa diversão. Nenhum ás do terror, muito menos um filme que vá ficar guardado na sua memória, mas uma boa diversão com uma atuação razoável de Bella Thorne.

Não é o tipo de filme que eu vá querer assistir mais uma vez, e se você não gosta ou não está acostumado com filmes sobrenaturais com uma temática mais adolescente, pode achar esse filme bem entediante, já que a história não é boa o suficiente para te prender. O personagem de James, vivido por Cameron Monaghan, foi provavelmente a melhor parte do filme, sendo realmente o unico ponto interessante da história. Toda vez que ele aparecia, ele me deixava aflita.

Num geral, Amityville: O Despertar é mais uma história não interessante baseada no clássico dos anos 70. Me gerou alguns sustos e algumas surpresas, mas nada que eu vá lembrar amanhã de manhã.

2/5


REVIEW: Amityville: O Despertar (2017) REVIEW: Amityville: O Despertar (2017) Reviewed by Unknown on novembro 27, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →