It's Halloween Night!


Halloween tá quase acabando, mas pra quem gosta de filme de terror como a gente aqui isso é só mais gás pra continuar ligado. Então, se você chegou em casa cansado de pedir doce ou fazer travessura e quer continuar no clima até chegar o feriadão de Finados, aqui vão algumas dicas de filmes que merecem ser vistos: 



Liderando a lista, temos os clássicos de Freddy Krueger, A Hora do Pesadelo (1984) e suas mais de cinco sequências do genial Wes Craven, diretor também de Pânico. Nesta historieta temos os adolescentes da Rua Elm tentando escapar das garras (isso mesmo) de um espírito maligno em busca de vingança chamado Freddy. Não adianta dormir pra esquecer porque ele é capaz de invadir os sonhos também.



Em seguida, mas não em ordem cronológica, temos outro clássico do cinema com dois grandes nomes da grande tela, John Cassavettes e Mia Farrow, tentando ter um bebê num apartamento novo e aparentemente tranquilo. É com o consagrado O Bebê de Rosemary (1968) que Roman Polanski deu um novo olhar às seitas satânicas da grande Manhattan e como ricaços veneram o demo em todo o país. Vale dizer que o filme tem uma estética delicada e a punch line aqui não são sustos exagerados.



Ainda dentro do que se conhece por clássico e aproveitando o gancho do romance de Rose e Guy, temos aqui a história de amor mais sangrenta de todas, o imponente Vlad Teps viaja até Londres atrás do que jura ser sua amada Mina. Em Dracula de Bram Stoker (1992), a película impressiona pela fidelidade à história e se deixa levar pelo tenebroso mundo da europa oriental onde parece que nunca amanhece. Aqui vale destacar a maestria de Gary Oldman como conde Dracula e a linda Winona Ryder como Mina Harker.



Idolatrado por muitos, odiado por muitos também. Um dos pioneiros na fórmula found footageA Bruxa de Blair (1999) tem um enredo bem cliché, um desenrolar mais cliché ainda e continuações mais clichés do que o original. "Jovens numa floresta em busca de algo e de repente correria e gritaria fechando em todos mortos e um desaparecido que voltará no filme seguinte". No entanto, o burburinho que causou na estreia é real e até existe a floresta de Maryland em que foram encontrados os artefatos. 



De longe o meu preferido e em defesa deste vale uma atenção maior. Quando os estúdios hollywoodianos descobriram os clássicos japoneses uma febre de remakes dos orientais surgiu e conquistou o ocidente. O que importa para os orientais é a história a ser contada, mas para os americanos essa história tem que ter efeito especial, maquiagem e atores americanos. Em O Chamado essa fórmula deu certo, e o remake parece ter ficado melhor que o original. No entanto, a fama dele de 2002 pra cá se dissolveu em "o filme da fita", "a menina do telefone", e está bem longe de ser só isso. Ainda arrisco de dizer que merece um post só sobre a obra. Enfim, O Chamado tem uma sombria história recheada de imagens, simbolismos, sustos e autoreferências. Assim como o outro clássico remake O Grito (2004), que conta com mais influência nipônica na sua produção e por isso tem mais referências ainda.




Para dar uma aliviada ainda pode-se recorrer aos filmes mais digamos... "simplórios". Não em respeito aos enredos, mas no que concerne aos clichés já mencionados. Então temos A Casa de Cera (2005), um inusitado thriller sobre uma cidade deserta de bonecos de cera com direito a piadas sexuais toscas e uma Paris Hilton à solta. A Casa da Colina (1999) sobre confinamento com um suspense crescendo e um final surpreendente. E os remakes de Sexta-Feira 13 (2009) e A Hora do Pesadelo (2010).



Um icônico com gosto de infância é Abracadabra (1993), que conta com bruxas desastradas na noite de Halloween de uma pequena cidade tentando capturar sangue puro para uma maldição que as torne imortais. O filme é uma grande referência a outra que é o grande must see da lista, As Bruxas de Salem (1996) que retrata fielmente a forma como eram tratadas as mulheres consideradas bruxas naquela cidade.



Outro brincalhão mas com historietas bem sinistras é o pouco conhecido Trick R' Treat, traduzido para Contos do Dia Das Bruxas (2007) que conta cinco histórias que se interligam e um ambulante entre fofo e demoníaco que conduz as tragédias. Os núcleos são bem trabalhados e as histórias têm desfechos inusitados.



Para quem não quer se assustar mas quer sentir o clima sombrio do Halloween, vale a pena conferir os geniais A Noiva Cadáver (2005) e Coraline (2009) ambos feitos com stop motion (um super trabalho) com a delicadeza que só eles conseguem reproduzir. A Noiva Cadáver conta ainda com músicas do parceiro de longa data do Tim Burton, Danny Elfman, que assina as composições de outros filmes do diretor que casam super bem com a data de hoje: Os Fantasmas se Divertem (1988), A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça (1999), O Estranho Mundo de Jack (1993) e o apaixonante e eterno Edward Mãos de Tesoura (1990).



E para fechar esta lista e restarem para os próximos anos, vale a chave de ouro do ano, ou melhor AS CHAVES de ouro do ano.
Primeiro temos uma cidadezinha do interior, garotos em suas bicicletas, uma menina no grupo, uma criatura terrível à solta, músicas dos anos 80. Seriam os elementos de IT ou Stranger Things? Dos dois. E dessa forma que os dois nos conquistam de cara. Enquanto Mike e seus amigos tentam destruir um demogorgon de outra dimensão, uma entidade maligna transfigurada de palhaço arrasta crianças para flutuarem juntos no esgoto. Ambos tem seus enredos fantásticos e não pecam em nada em suas histórias recheadas de referências, servindo de prato cheio aos nostálgicos. Vale ainda mencionar que a nova temporada de Stranger Things estreou essa semana, então ainda dá tempo rever a primeira rapidinho e acompanhar a segunda.  



 Images retiradas da internet.



It's Halloween Night! It's Halloween Night! Reviewed by Unknown on outubro 31, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário

Masterchef

About Me
Munere veritus fierent cu sed, congue altera mea te, ex clita eripuit evertitur duo. Legendos tractatos honestatis ad mel. Legendos tractatos honestatis ad mel. , click here →